Grandes especialistas unidos em favor da vida e da família junto à Organização dos Estados Americanos (OEA) no Encontro Internacional da Família, na América Latina.

Neste evento foram convocados 34 Chefes de Estado e Presidentes dos países da América Latina. Encontram-se presentes também nomes Pró-Vida como: Felipe Nery, diretor presidente do Observatório Interamericano de Biopolítica; Luis Losada Pescadoro, diretor do CitizenGO; o Ex-Candidato à Presidência e membro do Partido Centro Democrático da Colômbia, Oscar Iván Zuluaga; o pesquisador mexicano Fernando Pliego, do Instituto de Pesquisas Sociais da UNAM; Alexey Komov, de Política Familiar da Rússia; Julia Regina Sol, da Associação A Família Importa, de El Salvador.

O Encontro Internacional irá definir alguns pontos a serem apresentados na VII Cúpula das Américas, em forma de súplica aos governantes dos 34 países latino-americanos, para que olhem com atenção para as demandas da sociedade hodierna do continente. E mais uma vez o Observatório Interamericano de Biopolítica está participando, podendo, desta forma, auxiliar no trabalho Pró-Vida.

Conforme Dr Fernando Pliego, do Instituto de Pesquisas Sociais da UNAM, em estudo apresentado nos trabalhos do Encontro, quando os governos da América Latina e outras regiões planejam e aplicam políticas públicas orientadas a melhorar o nível de qualidade de vida da população, normalmente se pensa que o tema está relacionado com alterações econômicas do mercado, com o nível de educação da população, com a capacidade de organização da sociedade civil, com o gasto da verba pública voltado à sociedade ou com a situação das empresas jurídicas e políticas.

O que não é normal para os governos destes países, e sequer em boa parte dos pesquisados nas áreas sociais e econômicas, é pensar que o nível da qualidade de vida da população está relacionado, essencialmente, com assuntos que decorrem das alterações da organização e funcionamento das famílias.
Nesta conferência resumiremos os resultados de uma pesquisa que analisa a relação entre diversos indicadores de bem- estar e as principais mudanças que se observam na estrutura de organização familiar. Explanaremos de maneira especial o que aconteceu no México e no Peru.

Alguns temas que consideramos foram os seguintes: baixa na taxa de fecundidade, mudanças na estrutura das famílias e o comportamento dos indicadores de bem- estar nos âmbitos de segurança física, violência e renda, entre outros aspectos importantes da vida social.

Sendo assim, em documento conclusivo do encontro, define-se e declaram que a família é essencial para a sociedade e deve ser a principal e urgente meta da política pública, livre de invencionismos, interpretações ou ideologias. A defesa da família é um fator determinante de harmonia social. A família é o que une tudo na sociedade. A família e sua proteção é de responsabilidade do governo e da própria sociedade, ação a ser realizada por todos.